Doing the right things right

Fazer certo as coisas. Fazer as coisas certas.

Não parece, mas tem diferença.

(do the things right or do the right things?)

Na gestão, a diferença está relacionada entre o que é “ser eficiente” e o que é  “ser eficaz”.

Ops, compliquei mais ainda! Não fui eficaz em sanar a dúvida, concordam?

Ôxe, não entendi foi nada…

A física define eficiência como: medida segundo a qual os recursos são convertidos em resultados de forma mais econômica. Logo, na gestão, podemos dizer que é quando o trabalho é realizado com a menor utilização de recursos.

A eficiência consiste em fazer certo as coisas, em fazer as coisas com o melhor método, da forma mais “eficiente”. Consiste em produtividade, em otimização de recursos. Sua ênfase está nos meios.

A eficácia consiste em resultados. Em ser ou não ser. Não existe nada que seja “mais ou menos eficaz”. Uma ação pode ser eficiente, mas não necessariamente eficaz. Eficaz é a ação que produz o objetivo esperado. Sua ênfase está nos resultados. É quando o previsto e o realizado caminham e chegam juntos.

São diferentes, mas não são opostos.

Ainda assim, um processo pode ter sido completamente eficiente e não ter sido eficaz, porque um processo produtivo eficiente pode produzir, com excelente nível de otimização por exemplo, milhares de mimeógrafos. Bom, talvez você seja um estudante e nem sequer saiba o que é um mimeógrafo, por isso coloquei o link.

Nada contra o mimeógrafo, muito pelo contrário. Eu seria capaz de ter um só para sentir o cheirinho da minha infância escolar. Mas nos dias de hoje, quem de fato precisa de um destes? Para quem a minha excelente-empresa-fabricante-exímia de mimeógrafos venderia? Talvez para um ou dois malucos ao redor do mundo, com apelo vintage e que gostem de apreciar aparatos antigos. Mas não foi esse o objetivo do exemplo, pois neste caso o planejamento da empresa seria totalmente diferente. Voltemos a questão.

Segundo o austríaco, guru irretocável da administração, Peter F. Drucker:

Não há nada tão inútil, quanto fazer com eficiência algo que nunca deveria ter sido feito.

invenção
Fonte: Ryam Kramer.

Eu também poderia utilizar outro exemplo bem bobo:

ser eficiente – jogar muito bem a partida;

ser eficaz – vencer.

A eficiência está voltada para dentro da empresa e a eficácia para o resultado, ou seja, para o que sai dela.

O mercado, cada vez mais competitivo, cria este tipo de necessidade por parte das empresas. Estar atento à eficácia dos serviços prestados é questão de sobrevivência. Eficiência é fundamental para qualquer empresa, mas somente a eficácia pode garantir a sua sobrevivência.

É necessário fazer certo (eficiência) a coisa certa (eficácia).

Eficiência é fazer certo as coisas. Eficácia é fazer as coisas certas. ( Peter F. Drucker)

__________________________________________________________________________

Referências bibliográficas:

DRUCKER, Peter. The effective executive. HarperCollins Publishers, 1993.

DRUCKER, P. A eficiência empresarial. Revista Exame, n. 367.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s