Wall Street: o dinheiro nunca dorme. Não mesmo.

Wall Street: o dinheiro nunca dorme.

O filme apresenta todo o esforço financeiro, pela ótica dos banqueiros e grandes investidores, acerca das negociações que fizeram com que o governo americano injetasse bilhões de dólares nos cofres bancários no intuito de evitar uma grande crise como a que ocorreu em 1929.

O filme nos permite perceber, que mesmo nas piores crises, alguém sempre está ganhando muito dinheiro enquanto muitos estão perdendo, e, que, na verdade, informação pode valer mais que dinheiro.

O protagonista do filme, Gordon Gekko, representado por Michael Douglas, deixa a prisão após cumprir pena por extorsão, lavagem de dinheiro e fraude. No tempo em que o personagem permaneceu preso, muita coisa mudou e o telespectador pode evidenciar isso através dos pertences que lhe são entregues pelo agente penitenciário. Os pertences salvaguardados da época em que fora preso configuram artigos ultrapassados, como no caso de um celular antigo. O objetivo desta cena é mostrar que a sociedade está diferente da deixada por ele em 1987: agora vigoram a preocupação ambiental, a internet, a globalização, etc. Todavia, o filme deixa claro que uma coisa não mudou: Wall Street continua dando as cartas e quem domina o mundo ainda é o dinheiro. E Gekko rapidamente percebe isso.

Sozinho e impossibilitado de atuar no mercado financeiro, Gekko tenta recuperar o tempo perdido e reconstruir a sua vida escrevendo um livro chamado: “A cobiça é boa?”. Ministrando palestras para jovens empresários por conta da sua experiência de vida, o personagem faz disso seu sustento. Ele é muito carismático, não há como negar.

Em uma destas palestras conhece Jacob, noivo de sua filha, com quem não se relaciona mais desde antes da prisão.

A trama do filme se desdobra por meio de Jacob, que trabalhava em uma empresa que faliu por fraudar informações, e tenta aproximar sua noiva Winnie do pai. Jacob planeja se vingar do homem acusado de falir a empresa na qual trabalhava e é neste ponto que o filme entra no dilema do personagem: Jacob apesar de estar interessado em dinheiro, encontra-se dividido, pois acredita legitimamente também em uma empresa de energia sustentável, dando ao telespectador uma sensação de honestidade.

Aproveitando-se disso, Gekko percebe uma oportunidade de aproximação e tudo vira uma espécie de troca: enquanto Gekko o aconselha sobre como agir com Bretton, Jacob tenta aproximá-lo de sua filha.

O ambiente do filme revela a atmosfera das crises financeiras pelas quais o mundo passou e, principalmente, a mais recente queda da liquidez bancária dos Estados Unidos. Por meio da ficção, o filme aborda o mecanismo da bolsa de valores e da ganância, nos fazendo refletir sobre quais seriam os limites para dinheiro e sucesso.

Questionamentos que o filme nos sugere:

a) Quais seriam as funções básicas da liderança e de cada instituição dentro das corporações?

b) Por que devemos aprender a trabalhar com riscos e assumir responsabilidades?

c) Os valores familiares são esquecidos pela ganância?

d) Michael Douglas fica velho?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s