Qualificação e desenvolvimento de fornecedores: uma relação de ganha-ganha

Se engana quem acredita que um processo produtivo se inicia apenas dentro da fábrica ou da empresa.
A produção de um produto ou serviço começa ainda na escolha de bons materiais.
A compra de matéria-prima adequada está diretamente relacionada ao melhor desempenho da produção e da qualidade do produto.

Uma pizzaria que utiliza tomates ruins na fabricação de seus molhos e pizzas, compromete o sabor e a qualidade de seu produto. A fabricação de cerâmicas começa com a argila apropriada sendo entregue corretamente no pátio da olaria.

Mas como garantir que seus insumos são adequados e atendem às suas necessidades?

wonka
Eu tenho o melhor chocolate.

É mais comum do que a gente imagina, que empresas grandes, ao se instalarem em cidades menores, precisem desenvolver fornecedores locais para garantir que seus produtos e serviços estejam dentro dos padrões de qualidade – muitas vezes internacionais – exigidos. Mas esta não deveria ser uma cultura (ou preocupação) apenas de grandes empreendimentos.

As empresas que mantém um relacionamento de confiança com seus fornecedores, estão no caminho certo para a excelência operacional. A garantia que se inicia ainda na aquisição dos insumos; e o relacionamento que nasce por meio do processo de desenvolvimento dos fornecedores, propiciam mais que um ganho mútuo em qualidade: contribuem na redução no número de não-conformidades, na redução de problemas decorrentes de entrega, na redução de custos etc.

Juran (1999) evidencia a percepção por parte das empresas com relação à qualidade do desempenho dos seus fornecedores. Segundo o autor, a preocupação com este desenvolvimento vem se tornando cada vez mais importante por algumas razões:

  • Quantidade de produtos comprados – para muitos fabricantes de equipamentos originais, pelo menos metade dos materiais que compõem seus produtos é comprada de fornecedores;
  • Altos custos associados à qualidade insatisfatória de itens de fornecedores – para algumas empresas, cerca de 75% de todas as reclamações têm origem em itens comprados de fornecedores;
  • Interdependência entre comprador e fornecedor – algumas empresas são bastante dependentes dos fornecedores em vários aspectos, como instalações de manufatura integradas, dependência tecnológica, entregas just-in-time etc.
mercado
Adoro sair por aí comprando, sem nenhum critério…

Imagina você precisando produzir uma mesa e o fornecedor não entrega a madeira? Seu cliente fica esperando? Você apela para uma “madeira alternativa”? Você ameaça de morte o fornecedor?

Este relacionamento é tudo na vida de um processo produtivo, seja ele qual for.

Não pense agora em fabricação. Pense na prestação de serviços, pense em eventos. Você organiza eventos e a decoradora não fez o lustre conforme você solicitou. É triste, não é?

choro
Ela disse que me entregaria!

Conhecer a origem de sua matéria-prima e qualificar seus fornecedores, aumenta suas chances de produtividade ao passo que reduz sua exposição aos riscos.
Cada empresa deve definir o que espera de um fornecedor, com base em características particulares à empresa, entretanto existem alguns atributos comuns, que podem fazer parte de qualquer critério de seleção:

Oferece preço competitivo?
Possui histórico de referências positivas?
Fornece um bom serviço?
Mantém sua empresa informada sobre a evolução de seu pedido?
Cumpre os prazos de entrega?
Fornece itens com qualidade?
Oferece serviços de pós-venda  e assistência técnica?
Cumpre os acordos?

Crie para sua empresa ou departamento um bom sistema de avaliação e classificação de fornecedores. Você pode criar níveis e categorizá-los por grupos:
Vitais – sem os quais a operação não acontece;
Preferenciais –  usuais ou prioritários de aquisição;
Regulares – tradicionais ou habituais, que constantemente são consultados;
Alternativos – caso os fornecedores preferenciais não possam atender;
Especiais – que atendem sob demanda.

E também pode estabelecer, por meio de um questionário aplicado, um critério de nota. Cada grau indica o seu nível de confiança, por exemplo: o fornecedor com 90% de atendimento aos requisitos do questionário – se torna um fornecedor preferencial; abaixo disso – se torna um fornecedor regular.

Mantenha uma lista de “Fornecedores Qualificados”. Avalie-os periodicamente.

Monitore o desempenho de cada um deles. Viste as instalações.

lucy
Adorei esses docinhos. Vou levar todos!

Confira seus insumos (sua matéria prima adquirida) ainda no recebimento. Mantenha seu fornecedor ciente de possíveis falhas e desvios. Ajude-o a melhorar. Mantenha uma boa relação e contribua para que sempre haja uma negociação ganha-ganha.


Referências bibliográficas:

JURAN, J. M. Controle da Qualidade. 5. ed. São Paulo: Makron Books, 1999.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s