Empreender x Empreender carreira

Participarei de uma mesa redonda sobre empreendedorismo de carreira com futuros Engenheiros. São estudantes que, assim como eu, apesar de tudo, acreditam no papel da Engenharia para o mundo e, principalmente, para o futuro do nosso país.

Eu sei que as coisas andam muito tensas por aqui…empresas fechando, grandes corporações encolhendo, um mercado que parece andar para trás. Qual seria então a saída para os Engenheiros que desejam empreender suas carreiras? E, mais ainda, qual a diferença entre Empreender e Empreender carreira.

Já escrevi um post dedicado a definição de Empreendedorismo: fazer, realizar, colocar em ação. E eis que me perguntam, como isso se aplicaria aos “carreiristas”, aos que trabalham para alguma empresa.

empreender carreira
Empreender, empreender…blá, blá, blá zzzzzzzzz

Não há tantas diferenças como as pessoas julgam. Em ambos os casos, o processo da entrega dos Porquês individuais vêm antes do Fazer (o Porquê de se estar fazendo algo).

O funcionário Empreendedor de carreira trabalha para a empresa, que, por sua vez, trabalha para o cliente. E Empreendedores (de negócios próprios) trabalham para o cliente. O funcionário que trabalha para os ideais do chefe e não da empresa, não é o Empreendedor ao qual estou me referindo.

Esteja você, profissional, em uma empresa ou não, você sempre será VOCÊ.

Sua marca é você,  VOCÊ é uma instituição, você é “você s.a”, não tem jeito.

Mark Zuckerberg já é uma marca por si só. Qualquer vacilo ou derrapagem por parte dele, os sócios vão em cima.

E aí não é uma questão de imagem pura e simples, mas sim de SIGNIFICADO. Por isso a entrega dos Porquês é tão importante. Se não houver um Porquê, um Significado, a ação se torna vazia, oca, sem Propósito. E nesse caso, sim, será apenas imagem.

Trabalhar movido aos seus porquês, faz de você um profissional diferenciado. Você está vivo, existe algo que vibra em você. Como qualquer empreendedor, você quer realizar ações, iniciar projetos, quer fazer as coisas da melhor forma e quer nadar em um oceano azul de oportunidades. Esse é você, funcionário empreendedor no jogo ganha-ganha das organizações. É bom para a empresa e é bom para você também. É uma relação mútua de troca, onde você é um aprendiz incansável, e, cada vez mais realiza seus propósitos.

Por isso, aos empreendedores ansiosos, que na busca dos seus porquês, na busca em dar um novo sentido à vida, acreditam na ilusão de que “abrir o próprio negócio” é viver esse Propósito, eu digo:  não, não é. Seu Propósito pode não ser o seu negócio.

proposito
Huuummmmmmm

Conheço pessoas que carregam negócios fracassados, mas que seriam ótimos profissionais trabalhando em alguma empresa.

É preciso despir-se da vaidade na busca pelo Propósito.

Nem todo publicitário sabe gerir e lidar com o dia a dia de uma agência. Nem todo Cheff sabe administrar um restaurante. Mesmo em sociedade.

Talentos são desperdiçados assim, com essa miopia.

Talvez um Chef recém formado, no ímpeto de abrir seu bistrô e tentar ser dono do próprio nariz, não consiga levar o seu negócio adiante. Quem sabe se estivesse trabalhando para um outro Chef, teria seu nome e talento reconhecidos? Porque tudo que ele queria era cozinhar para pessoas e deixá-las felizes. Era esse o seu propósito.

Se o seu Propósito é viver viajando, conhecer o mundo, pode ser que seja muito melhor que você esteja dentro de uma grande empresa, com um bom salário que lhe permita férias anuais e feriados incríveis. Na relação de troca, você será grato a empresa por poder realizar isso. E isso te motivará a ir cada vez mais longe em sua ascensão profissional. Eu sempre gosto de falar “longe” e não “alto” porque não acredito na relevância de altos cargos à felicidade. Não acredito mesmo.

Conheço mulheres que deixaram a vida executiva de lado e hoje trabalham em casa. O Propósito? Cuidar dos filhos e vê-los crescer. O Propósito NÃO ERA ABRIR UM NEGÓCIO.

Com a crise, esse tema de carreiras veio à tona. E, apenas para tentar resumir esse assunto tão abrangente, os grandes problemas na minha visão são 3 (e as observações sobre cada um estão logo abaixo):

  1. os que desejam empreender carreira e estão fora das empresas;
  2. os que desejam empreender carreira e estão em uma empresa de filosofia arcaica, que sequer se deu conta de que estamos em 2017, na era da informação, do conhecimento e vivendo outros modelos mentais;
  3. os que desejam empreender e “não querem mais trabalhar para ninguém”.

 

1 – Você está desempregado. Aceite o fato e procure um emprego incessantemente. Se você não vai empreender absolutamente nada enquanto estiver do lado de fora, você provavelmente não irá empreender quando estiver dentro.

Não é do seu comportamento empreender.

Então, vá à luta pelo seu propósito, mas encare a realidade de menores salários e de condições que não foram as que você imaginou. O que você quer é ter um emprego.

2 – Apesar do desanimo bater, você não pode parar. Olhe o mercado, invista em cursos, mire em outras empresas e não tenha medo de falar com as pessoas.

Esteja atento às empresas que possuem princípios próximos aos seus. Converse com quem está lá, e repito: não tenha medo de perguntar e falar com as pessoas!

Melhore seu currículo, mas não ache que ele te sustentará, caso você saia daí.

Não se deixe levar pela “caixa” da empresa que você está hoje. Saia dessa caixa e veja o mundo fora: idiomas, linguagem digital, novas mídias…aprenda tudo que puder enquanto ainda possui o salário fixo. Amplie sua visão de mundo e use seu salário para investir em Você. Torne-se uma autoridade ainda dentro da empresa.

3 – Desculpe a franqueza, mas você vai continuar trabalhando para alguém. Lá no início do post eu fiz a ligação entre Empreender e Cliente. Quem tem um negócio próprio trabalha para o cliente.

Aqueles que acham que trabalham para si mesmos estão iludidos. Parte da realização de quem empreende está NA REALIZAÇÃO DO CLIENTE.

Nenhum Chef quer que o prato volte. Nenhum Ator quer receber vaias, por mais amor a profissão que tenha. O cliente vem antes, porque parte da sua missão é ajudá-lo. Então você vai trabalhar para alguém sim.

Aí é tudo uma questão de escolha. O que tem mais valor para você: o salário para trabalhar em uma empresa ou os ganhos que você tem trabalhando por conta própria?

Reflita sobre seus ganhos, seus sonhos e sobre o seu propósito.

Reflexão = Pensar com o coração. Pense (seja racional) com o seu coração.

Livre-se de vaidades, de orgulho, de preocupação sobre o que falarão de você.

O Propósito é seu porque a vida é sua.

Ninguém vai viver isso por você. Ninguém vai empreender nada por você.

Apenas você é capaz de encontrar os caminhos para os seus Porquês.

Um comentário sobre “Empreender x Empreender carreira

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s