Encontre os clientes, produza depois (e o caso do queijo)

Em um modelo de negócios antigo, a pessoa que abria uma empresa, registrava seu negócio em mil cartórios, junta comercial, mil papeladas, alugava uma sala, uma loja ou o que fosse necessário, e, após a grande inauguração, ficava indo atrás de clientes. Ou esperando que os clientes aparecessem. Que passassem em frente a loja, entrassem E COMPRASSEM.

Em resumo, a pessoa já começava o negócio “devendo” – porque tinha que arcar com os custos fixos (luz, aluguel, folha de pagamento, registros…) e com algum estoque inicial. Se os clientes não viessem, o empresário amargava o prejuízo. O risco era muito maior.

abrirnegocio
Abra sua empresa aqui, senhor. Carimbe essas 757463535 vias coloridas zzzzzzzz

Com o avanço da internet e das estratégias de marketing digital, o empreendedor pode perceber uma demanda – de um segmento ou nicho, saber quais são as necessidades, dores e prazeres desse nicho e aí sim, desenvolver o seu negócio.

E o melhor disso tudo é que o empreendedor pode, ao longo do seu planejamento, ir testando se a ideia é realmente relevante e viável ou não para aquele público.

O empreendedor oferece ao público uma solução. O seu produto é uma ponte entre o problema e a solução que o cliente procura. O cliente chega na solução, graças ao seu produto.

O mercado de crowdfunding é um dos melhores exemplos disso.

Com ele, os clientes pagam antes mesmo do produto existir. Pagam, porque acreditam no produto e na solução oferecida.

Na matéria do link, um empreendedor de Curitiba lançou uma campanha de crowdfunding na plataforma brasileira Catarse. A meta inicial de arrecadação era de R$ 35 mil, e foi batida em meia hora!
A campanha arrecadou mais R$ 176 mil – cinco vezes além do objetivo inicial.

O produto que ele vendia? Uma maquina de café expresso (ou espresso, como preferirem) que não utiliza energia elétrica, mas sim uma manivela capaz de gerar uma pressão equivalente a da máquina. Vale lembrar que a máquina NÃO EXISTIA AINDA, APENAS O PROJETO.

modelo antigo

modelo atual

E vamos ao que eu escuto quando falo sobre isso!
– Ahhhh…mas eu não sou inventora! Não sei desenvolver um produto, não entendo de tecnologia…essas coisas não são para mim!

(Leia sobre #mindset fraco aqui)

Então eu dou ooooutro exemplo. Tenho milhares, mas amo esse do queijo e quem já esteve em aula comigo, conhece.

Em um grupo do Face, do qual eu sou membro, umas moças fizeram uma postagem sobre uns queijos que elas produziam. Esse grupo é um grupo específico, de pessoas que buscam se alimentar de forma mais natural, com produtos da roça.

Pois bem.

O produto: queijo minas com recheio de doce de leite e goiabada.

Queijo
Babei só de olhar

Pereceba o interesse das pessoas! Veja que coisa fantástica, as pessoas engajadas e desesperadas pelo queijo!

Uma simples postagem rendeu a essas produtoras 5.771 comentários!
Isso mesmo, você não leu errado.
Elas não deram nem conta, claro, de todas as encomendas de uma vez.

Mas o que tinha aí de tão genial?

Simples, algo que todo mundo estava buscando, mas, até então, ninguém tinha oferecido: um queijo que já vem com o doce. E que doce! Só pela foto já dá vontade de encomendar, não é verdade?

O que elas fizeram? Anunciaram antes, para sondar o interesse e vender depois. Tomaram nota dos contatos daquelas pessoas interessadas e converteram as vendas.

Imagina se elas tivessem produzido os queijos e tivessem saído por aí vendendo somente para os amigos e vizinhos. Iam vender bem menos! Alguns poderiam inclusive estragar e elas teriam que amargar o prejuízo da mercadoria encalhada.

(Leia as matérias que saíram na mídia sobre o delicioso queijo trufado aqui e  aqui)

Viu como apenas um post pode te poupar o retrabalho e os custos de uma produção inteira?!

E o melhor: você, a partir de uma mera sondagem, passa a ter uma “Lista” de pessoas interessadas no seu produto, e, consequentemente, em produtos similares.

Perceba o poder das redes, da internet.
Tudo é uma questão de segmentação e nicho. Micronicho.

No grupo tinha gente perguntando se não havia versão light (Nanonicho)!

É claro que o queijo foi anunciado para um grupo de pessoas que já tendem a se interessar por isso. Não teria tido o mesmo efeito, se elas tivessem postado, por exemplo, em um grupo fitness ou de dieta!

Por isso eu repito: tire o “isso não é para mim” da sua vida.
O mercado está aí, existem milhões de pessoas querendo soluções para os problemas delas.

Pense nisso.

Reflita sobre esse novo modelo antes de reclamar que o seu produto não está vendendo. Tem muita gente produzindo coisas que ninguém mais quer!

Chega de produzir o que ninguém quer!

Identifique um nicho e aí sim produza. Valide a ideia durante as etapas de planejamento.

Economize tempo, dinheiro e recursos. Tire proveito das ferramentas digitais!


Eu falo sobre pessoas que vendem qualquer coisa, menos o seu produto aqui

Falo sobre Funil de vendas aqui

E falo sobre o que é, de fato, empreender aqui

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s